top of page
  • Foto do escritorTatiana Esposito

Desenvolvimento, convivência e acesso aos equipamentos digitais

Atualizado: 9 de nov. de 2022

Não é difícil notar que o Ativamente tem contribuído para a melhora na convivência social, além de proporcionar experiências criativas que agregam conhecimento.



Educadora tem buscado, além do desenvolvimento e aprendizado, a boa convivência entre os alunos.


A educadora Patrícia Aparecida Trevisan Couto, professora do 3º ano na escola Municipal José Raphael Santos Netto, tem notado o crescimento individual e o entusiasmo dos alunos. Por isso, ela aproveita cada atividade para trabalhar questões que vão além do comum. “O projeto Ativamente tem entusiasmado e deixado os alunos interessados em participar dos encontros semanais. Cada um dos meus alunos aprendeu um pouco e desenvolveu algo. Busquei mesclar personalidades na divisão dos grupos, sendo assim, as crianças foram se desenvolvendo não só nas atividades, mas no convívio. Alguns, moderando o excesso de proatividade, outros, moderando a timidez. Busquei avaliar individualmente cada um e pedi a opinião dos colegas para uma avaliação individual e coletiva,” destacou.


Muito observadora, Patrícia tem buscado trabalhar com os alunos de forma que a convivência seja a melhor possível, respeitando as individualidades e habilidades de cada criança. “Busquei intercalar crianças com perfil de liderança com aquelas com perfil apaziguador e assim por diante. Nessa perspectiva, meu objetivo era que a convivência fosse mais próxima possível da vida adulta, no trabalho escolhido por cada um. Com isso, pude observar uma certa relutância inicial, que aos poucos foi sendo vencida e deu espaço a novas amizades e melhor compreensão do convívio social no pós-pandemia,” explicou.


Para a professora, a permanência dos monitores durante as atividades e a interdisciplinaridade das propostas podem trazer vários benefícios para a consolidação dos conteúdos abordados em sala de aula. “Os resultados que almejo são no aspecto cognitivo, de ampliar a capacidade de raciocínio de nossas crianças.” E ela deseja mais. “No que tange aos aspectos físicos, sonho com uma sala própria para o projeto e o uso de notebooks em duplas, pois em quartetos não é tão produtivo para nossos alunos, visto que o tempo de aula é limitado,” disse.


A educadora destacou ainda que os ganhos do Ativamente vão além do conteúdo e chegam à área social. “Nossas crianças têm contato com celular, mas poucas têm acesso a um desktop ou notebook. Proporcionar aos jovens essa convivência é abrir uma nova perspectiva, um novo olhar para seus horizontes,” apontou.


Patrícia também compartilhou o que espera dessa segunda etapa do Ativamente. “Nessa nova proposta para o semestre, percebo que há uma organização curricular alinhada aos conteúdos e à BNCC. Com isso, espero que nossas crianças construam conhecimento sobre disciplinas como Língua Portuguesa e Matemática, mas também sobre as demais matérias, como Geografia e, inclusive, História,” finalizou.


Acontece no Mundo Ativamente


Esse é o Acontece no Mundo Ativamente. Um diário de bordo do projeto Poços Educação para o Futuro, que leva a Aprendizagem Criativa do método Ativamente para as escolas municipais de Poços de Caldas. Acompanhe nosso blog e participe. :) Sua participação é muito importante para nós e para todos os envolvidos nessa jornada!

bottom of page