top of page
  • Foto do escritorTatiana Esposito

Por dentro do Pensamento Computacional

Atualizado: 9 de nov. de 2022

Já sabemos que o projeto “Poços Educação para o Futuro” tem levado a aprendizagem criativa para as 25 escolas municipais de Poços de Caldas, através do método Ativamente. O método engloba quatro dimensões: a ambientação (com a criação de micromundos fantásticos), a livre criação, o compartilhamento e o ensino do pensamento computacional.



O Pensamento Computacional é uma habilidade fundamental que estimula a resolução de problemas.


Para todo mundo ficar por dentro de como funciona o Ativamente, hoje vamos falar um pouco mais sobre o pensamento computacional. Primeiro, a definição: “pensamento computacional é uma abordagem para a resolução de problemas, uma organização de ideias e um conjunto de habilidades que são inerentes ao ser humano e que podem ser executadas por um computador, mas que não depende exclusivamente do seu uso. É uma habilidade fundamental para todos e que não deve ficar restrita aos cientistas da computação,” explica Gisele Mendes, integrante da equipe pedagógica do Ativamente, pedagoga, especialista em Formação de Professores, Design Institucional e em Gestão Escolar e que também já fez cursos na área de Pensamento Computacional.


O pensamento computacional é basicamente pautado no pensamento crítico, promovendo a análise e no pensamento lógico, que permite a busca de estratégias para que o conhecimento seja replicado. Através do pensamento computacional, conseguimos organizar as atividades, identificar padrões e assim, ter uma ordem definida para resolver um problema. De forma criativa, crítica e estratégica, pode ser direcionado a diversas áreas do conhecimento, inclusive, nas atividades do dia a dia.


Os quatro pilares do Pensamento Computacional

O pensamento computacional está fundamentado em quatro pilares. São eles:

Abstração: é como uma espécie de filtro, já que a abstração permite que se encontre o que é mais relevante em determinada situação;

Decomposição: essa habilidade permite que um problema grande seja dividido em partes menores, facilitando a resolução e a compreensão;

Reconhecimento de padrões: já que o pensamento computacional funciona através de padrões, esse pilar permite que se reconheça repetições e similaridades na busca das soluções dos problemas;

Algoritmo: uso da lógica, de forma sistematizada, para criar soluções de problemas e executar tarefas.


O conceito nas salas de aula

Levar esse conceito às salas de aula é essencial nos dias de hoje. Para se ter uma ideia de como o pensamento computacional é relevante nas escolas, o termo é citado na Base Nacional Curricular Comum (BNCC), conforme o trecho abaixo:


Outro aspecto a ser considerado é que a aprendizagem de Álgebra, como também aquelas relacionadas a Números, Geometria e Probabilidade e Estatística, podem contribuir para o desenvolvimento do pensamento computacional dos alunos, tendo em vista que eles precisam ser capazes de traduzir uma situação dada em outras linguagens, como transformar situações-problema, apresentadas em língua materna, em fórmulas, tabelas e gráficos e vice-versa. Associado ao pensamento computacional, cumpre salientar a importância dos algoritmos e de seus fluxogramas, que podem ser objetos de estudo nas aulas de Matemática. Um algoritmo é uma sequência finita de procedimentos que permite resolver um determinado problema. Assim, o algoritmo é a decomposição de um procedimento complexo em suas partes mais simples, relacionando-as e ordenando-as, e pode ser representado graficamente por um fluxograma. A linguagem algorítmica tem pontos em comum com a linguagem algébrica, sobretudo em relação ao conceito de variável. Outra habilidade relativa à álgebra que mantém estreita relação com o pensamento computacional é a identificação de padrões para se estabelecer generalizações, propriedades e algoritmos. (BNCC, Matemática- Ensino Fundamental, 2018, p.273).


Para a pedagoga, o pensamento computacional na educação é uma realidade que pode trazer inúmeros benefícios aos alunos. “Ele auxilia na construção de estratégias em diversos contextos; ajuda a enxergar o erro como processo de aprendizagem; possibilita experiências de como pensar para resolver problemas mais complexos e buscar soluções; desenvolve a autonomia, a flexibilidade, a resiliência, a proatividade e a criatividade, que são competências importantes para o século XXI. O desafio maior é o professor compreender que a abordagem já faz parte da rotina da escola, no entanto, precisa ser pensada e estruturada de forma intencional,” destacou.


Na sala de aula, a abordagem ajuda a desenvolver a autonomia, a flexibilidade, a resiliência, a proatividade e a criatividade.


Para finalizar, podemos citar Seymour Papert, matemático e educador, que defendia a aprendizagem criativa e acreditava que o processo de aprendizagem é muito mais eficaz quando as crianças estão envolvidas no processo de construção do saber. Certa vez, em uma entrevista, ele disse que “os cidadãos precisam aprender a lidar com desafios... A verdadeira habilidade competitiva é a habilidade de aprender. Não devemos aprender a dar respostas certas ou erradas, temos de aprender a solucionar problemas.”




Acontece no Mundo Ativamente


Esse é o Acontece no Mundo Ativamente. Um diário de bordo do projeto Poços Educação para o Futuro, que leva a Aprendizagem Criativa do método Ativamente para as escolas municipais de Poços de Caldas. Acompanhe nosso blog e participe. :) Sua participação é muito importante para nós e para todos os envolvidos nessa jornada!




Comments


bottom of page