top of page
  • Foto do escritorTatiana Esposito

Transformação e desenvolvimento: monitores falam das experiências com o Ativamente

Atualizado: 9 de nov. de 2022


“A aprendizagem criativa consegue deixar a educação mais significativa, esse processo educacional da criança, o que traz o aprender brincando, o que mostra como é divertido fazer os jogos, trabalhar enquanto se aprende, trabalhar em pares. O aluno aprende a lidar com questões práticas do dia a dia, consegue criar histórias, trabalhar a criatividade e a imaginação e, ao mesmo tempo, pode unir tudo isso com a paixão, ou seja, essa aprendizagem pode trazer o que ele gosta, o que chama a atenção, o que está na realidade dele.” É dessa forma que Laureane Kamile Rossi Carlos, monitora do Ativamente, destaca como a Aprendizagem Criativa é essencial na vida dos estudantes.


Monitores do Ativamente: Joyce, Thais, Pablo, Gabriela, Laureane, Isabela e Letícia.


Nós conversamos com a equipe de monitores, composta por sete pessoas, para saber um pouco mais da rotina deles em sala de aula, como foi o primeiro bimestre e qual a expectativa para a volta do Ativamente após o período de férias.


Nas escolas, os monitores trabalham em parceria com as professoras. Além de cuidarem dos equipamentos, deixando tudo pronto para quando os alunos chegam para as aulas, eles auxiliam nas atividades do dia, explicam como funcionam as ferramentas e plataformas, ajudam na formação dos grupos e na resolução dos problemas, tiram dúvidas, observam a sociabilização e o compartilhamento de ideias entre os alunos, seguindo sempre a dinâmica de cada turma, ao lado da professora.


Quando o assunto é desafio, Laureane conta que são muitos dentro do Ativamente e que com eles a equipe vem aprendendo, superando e se aprimorando cada dia mais. “Foram alguns desafios, como a criação de vínculo com as professoras, com as escolas e os alunos. Depois foi fazer com que os alunos compreendessem o uso do computador, já que alguns têm mais acesso que outros. Outra realidade foi que cada escola tem uma gestão, então trabalhar a comunicação dos monitores com as professoras e com a direção também foi um desafio no início. Também lidamos com o fato de os alunos estarem no pós-pandemia, tivemos que trabalhar a dinâmica em grupo, criar uma socialização nos grupos, criar também um entendimento sobre enfrentar problemas, frustrações. Foram desafios logísticos e educacionais que fomos enfrentando,” disse.

Incluir e integrar alunos com algum tipo de deficiência também fez parte do dia a dia dos monitores do Ativamente. E, segundo Laureane, mostrar que o método é acessível aos alunos com deficiência, fazendo com que o Ativamente seja significativo também para eles, foi essencial durante esse primeiro bimestre de trabalho.


A monitora Thais Vilela diz que a experiência com o Ativamente é diferente de tudo que já tinha feito até hoje. Ela, que se interessou mais pelo assunto tecnologia quando ainda estava nos últimos períodos da faculdade, acredita que o tema traz inúmeras possibilidades e que esse ‘mundo tecnológico’ só tende a avançar. “Meu papel como educadora é entender como eu, pedagoga, posso fazer para que essa tecnologia chegue até minhas crianças, chegue na escola, e isso de uma maneira crítica, criativa, que é o que a gente busca abordar dentro do projeto,” contou. Sobre a próxima etapa, Thais também destacou: “Eu vi muitas possibilidades e ainda vejo, o Ativamente tem uma potência gigantesca. Ele está mais estruturado agora, tem uma equipe pedagógica com bastante experiência na área preparando as atividades com uma visão mais própria da educação pública, o que dá consistência e qualidade para o projeto.”


Com acesso a novas possibilidades e podendo trabalhar mais diretamente dentro da realidade dos alunos, na próxima etapa as aulas farão ainda mais sentido na vida dos estudantes. Integradas ao conteúdo trabalhado nas outras disciplinas, o professor também ficará mais ativo dentro do processo da criação de jogos e na utilização das plataformas. Com atividades voltadas para projetos, tudo ficará mais dinâmico na hora de colocar em prática a metodologia e a abordagem criativa. Tudo o que foi observado na primeira etapa chega agora para trazer ainda mais sentido e propósito, especialmente para os alunos.


Assim, como ficam as expetativas para a volta das aulas? A monitora Gabriela Zanchetta Machado, contou que “as expectativas são altas, pois as crianças já estão envolvidas no projeto, já sabem como tudo funciona, não é mais novidade para os professores nem para a escola, então eu acho que vai ser mais fluido dessa vez. A próxima etapa do Ativamente está ainda melhor que antes, são atividades interessantes, propostas divertidas e com conexão com o que os alunos estão trabalhando em sala. Com isso, poderemos integrar mais o Ativamente na vida escolar dos alunos.”

Quando fala dos estudantes, Gabriela destaca que eles são animados e têm muita vontade de aprender e participar do Ativamente. E tem algo mais que, para Gabriela, faz toda a diferença na vida das crianças: a convivência. “Eu acredito que nesse primeiro momento o nosso maior avanço tenha sido na socialização dos alunos. Com a pandemia, muitos alunos ficaram completamente isolados de convívio com outras crianças e isso afetou o desenvolvimento social delas. Quando ela chega no Ativamente e não só precisa dividir um computador, como trabalhar em equipe, essa criança desenvolve mais dessa consciência social que a pandemia apagou, finalizou.


Acontece no Mundo Ativamente


Esse é o Acontece no Mundo Ativamente. Um diário de bordo do projeto Poços Educação para o Futuro, que leva a Aprendizagem Criativa do método Ativamente para as escolas municipais de Poços de Caldas. Acompanhe nosso blog e participe. :) Sua participação é muito importante para nós e para todos os envolvidos nessa jornada!


bottom of page